O Fantástico Altruísta: Seu Desafio

por Diego Caleiro, 2010 * pdf

 

Então, você acordou neste universo, contendo não só a si mesmo, mas um lar chamado Terra, bilhões de galáxias, avós religiosas, cookies, fins de semana e séries para download que você pode assistir a qualquer momento.

Eventualmente, você reparou que as pessoas são coisas mais intencionais do que os cookies, pois, afinal de contas, as pessoas sempre desejam algo. E tais “objetos intencionais” semelhantes a você, lhe disseram que você também é uma pessoa, sendo assim você se fez a pergunta óbvia: O que eu desejo?

Agora, por um momento, vamos supor que você é uma pessoa muito inteligente (nós sabemos que você é, ok?). Mas, não é apenas isso, você também tem uma profunda compreensão sobre a evolução biológica e o significado da vida, possui inteligência acima da média, e sabe a diferença entre uma alma e um gadget evolutivamente concebido, cuja função é tangente a ser um programa de otimização que aperfeiçoa algumas diretrizes rudimentares trazida pelos genes e memes em um universo silencioso e sem propósito.

Você sabe que o pensamento humano funciona principalmente através de analogias, e que a melhor maneira de explicar como funciona a mente envolve alguma forma de dividir o que ela faz em passos simples que podem ser realizadas por sistemas menos inteligentes. Ou seja, você entende que uma explicação de inteligência implica em explicá-la sem utilizar a palavra “inteligência” como parte de sua explicação

Sabe que somente um tolo pensaria que as emoções são opostas à razão, e que nossas emoções são projetados pela evolução para trabalhar em uma coalizão de fluidos e de forma pacífica com a razão, não só como melhores amigos, mas como um sistema simbionte.

Você também têm conhecimento das leis subjacentes da física, e não apenas descobriu a equação de Schrödinger, mas entendeu que ela implica uma série de coisas contra-intuitivas, tais como: Existem muitos mundos se dividindo o tempo todo em muitos outros mundos, e você também está dividido assim como todas as outras formas que existem dentro deste modelo. Na verdade, há uma árvore com quantidades cada vez maiores dos ramos, de modo que eu possa sempre seguir o meu eu de volta para trás, mas há muitos eus ramificados para a frente.

Você então se pergunta: “serei eu todos eles ou serei apenas um deles?”


 

Então você pensou: “Nossa, não é que eu me sinto muito bem sendo bom para outras pessoas. Eu sou um altruísta natural”. Como posso colocar a minha inteligência para trabalhar por um mundo melhor, sem ser sugado para o vácuo das trevas e do mal? 1

Uma vez que entendeu a evolução, você sabe que não há uma moralidade última. Não há um grande princípio, da mesma forma como não há um grande deus. Por outro lado, parece que a felicidade é algo glorioso, e as melhores partes da vida, tanto para você quanto para seus amigos, são os momentos que são impressionantes, incríveis, fantásticos, deliciosos, insuportavelmente felizes, inimaginavelmente alegres. Isto, naturalmente, em oposição aos momentos que são miseráveis, infelizes, tristes, repletos de tédio, tão horríveis que você deseja chorar.

Então você decidiu que quer uma vida que seja:

  1. Fantástica;
  2. Altruísta;

Agora, surge a segunda pergunta: O que devo fazer?
 

O que você deve fazer

 

Vamos entender de uma vez por todas, que o progresso ético da sociedade não depende da imitação do processo cósmico, e menos ainda em fugir dele, mas em combatê-lo.
– T.H. Huxley (“Darwin’s bulldog”).

Então, toda sua inteligência foi posta a trabalhar nisso, e você começou a descobrir o que os outros Fantásticos Altruístas estavam fazendo ultimamente. Inevitavelmente, você parou de ler Vogue e jornais, e passou a ler sobre pessoas que amavam a humanidade e guiaram suas ações para ajudar outras pessoas: Mahatma Gandhi, Nelson Mandela, Bertrand Russell, Bill Gates, Angelina Jolie, Frederico II, Nick Bostrom, Bono Vox, Jeremy Bentham, Eliezer Yudkowsky, Mikhaill Bakunin, Madre Teresa de Calcutá, Karl Marx, dentre muitos outros.

Você passou a analisar as suas ações contrafactualmente e aprendeu que a pergunta certa para descobrir o que realmente importa é: Qual é a diferença entre o nosso mundo em que X fez o que fez, e o nosso mundo, caso X não tivesse feito isso?

Você reparou que as pessoas têm um ponto cego relativo a esta questão, e elas sempre esquecem de perguntar: “Será que alguém teria feito isso, caso X não tivesse?” E você tem guardado um lugar especial e aconchegante em seu cérebro que cintila como um grande neon com os seguintes dizeres cada vez que reflete sobre o assunto: “Se sim, então o trabalho de X não fez diferença.”

Em seguida, você reparou como os mais importantes atos altruístas não são apenas aqueles que têm maior impacto e efeito mais forte. Você percebeu que quanto menos pessoas estão trabalhando em algo de impacto e efeito, mais cada um faz diferença. Não há nenhuma vantagem em fazer o que de qualquer maneira seria feito por outra pessoa, assim o que deve ser feito é o que, se você não o fizesse, jamais seria feito por alguém.

Aplicando este raciocínio, você exclui a maioria dessas pessoas de sua concepção de Fantásticos Altruístas. Mas, alguns permanecem e você percebe que, a destes, todos são muito poderosos (em termos de dinheiro) ou transhumanistas.

Você começa a pensar sobre isso e se pergunta: “Por que todos os que têm uma chance de criar um universo muito muito melhor se preocupam com estes temas?

  1. Promover o melhoria e superação da condição humana através do uso da tecnologia;
  2. Reduzir as chances de ocorrer uma catástrofe que poderia destruir a vida de, digamos, mais de 50 milhões de pessoas ao mesmo tempo;
  3. Criar, através do uso extenso de tecnologia, um mundo em que alguns dos nossos grandes problemas não resolvidos não existam mais: Envelhecimento, infelicidade, depressão, acrasia, tédio, sofrimento, idiotice, fome, doença, impossibilidade de criar um backup de si mesmo em caso de acidente de carro, não ter uma vida muito prazerosa, burocracia e morte, para citar alguns problemas.”

É agora que você começa a perceber que assim como a ciência é o senso comum aplicado repetidamente a si mesmo, assim como a ciência é resultado de iterações do senso comum, o transhumanismo é resultado de iterações de altruísmo científico.

Muitas vezes, algo que vem da ciência parece absurdo para as nossas mentes moldadas nas antigas savanas: Mundos quânticos, ação à distância, besouros controláveis por controle remoto, algoritmos sem mente capazes de criar criaturas com mente. Mas então você percebe que se tomar tudo o que entende como senso comum, e aplicar o senso comum uma vez mais a isso, terá um resultado que parece um pouco menos senso comum que o primeiro. Então você faz isso de novo, um pouco mais, e outra vez. Todos os passos levam apenas um pouco mais longe do que sua mente toma como óbvio. Mas 100 passos depois, estamos a falar de toda a energia sendo proveniente de uma enorme bola de hélio explodindo muito longe que perturba o espaço de forma previsível e que percebemos como luz solar. Chamamos essa iteração de senso comum de Ciência, para ser breve.

Agora ¿E se você é uma pessoa legal, e gosta de saber que sua ação fez a diferença? Daí você começa a mensurar. Parece intuitivo à primeira vista que algumas ações são boas, como, por exemplo, dizer a verdade. Mas, em novas iterações, quando você aplicar os mesmos princípios novamente, encontrará exceções como por exemplo, dizer a uma amiga: “Você está gorda”. À medida que passar por algumas iterações, você perceberá a mesma reação emocional que sentiu quando o senso comum foi escorregando por “entre seus dedos” quando você aprendia ciência.

Você começa a perceber que dar para mendigos é pior do que fazer doações para instituições organizadas, e que seu voto não muda quem é eleito. Você percebe que a educação compensa a longo prazo, e entenderá por que os estados estão banindo o tabaco em todos os lugares. Você percebe o significado da frase clássica: “A prevenção é o melhor remédio.”

Aqui é o ponto onde você se tornou um humanista. Parabéns! Muito poucos chegaram até aqui.

Acontece, porém, que você já conhece ciência, e ser um simples humanista não é o bastante. Portanto, há mais etapas a seguir. Você percebe que estamos em um dos séculos mais importante do curso da evolução, porque os memes estão ultrapassando os genes, e somente agora descobrimos os computadores e o tamanho do universo. Estamos conscientes de como as doenças são transmitidas, e atualmente podemos levar os corpos e mentes das pessoas para a Lua.

Assim, você percebe que se fundir com a tecnologia terá um resultado enorme e que provavelmente isso ocorrerá no tempo de sua vida, quer você goste ou não. Será uma ocorrência tão significativa, que provavelmente não há nada mais que você possa fazer em uma outra área qualquer que se destaca em ter uma chance contra o nível de altruísmo de aumentar a probabilidade de que vamos atingir, ao fundir com a tecnologia, um Bom Lugar Para Se Viver, e não o “Terrível cenário distópico 4815162342”, aquele em que não percebemos que curar o câncer só valia a pena se não fosse necessário destruir a terra para calcular as computações necessárias para executar a cura.

O biólogo Richard Dawkins pontua que existem muito mais maneiras de estar morto do que vivo, ou seja, existem mais projetos de animais insustentáveis do que de animais sustentáveis. Eliezer Yudkwosky aponta ainda que existem muito mais maneiras de falhar em nossa busca para encontrar um Bom Lugar Para Viver. O espaço de design é enorme, mas é preenchido por muito mais espaço distópico do que o espaço utópico.

Assim, você manteve seu raciocínio de Fantástico Altruísta, e com a sua grande inteligência descobriu que outras pessoas que fizeram isso se chamam de “Transhumanistas”, e que eles estão trabalhando para evitar qualquer risco global catastrófico, e para criar um mundo de conhecimento, de prazer e espanto sublime, além do que é concebível para qualquer terráqueo contemporâneo formular.

Mas, você também descobriu que há tão poucas dessas pessoas. Isso lhe deu um sentimento misto.

Por um lado, você se sentiu um pouco preocupado, porque ninguém dentre os seus amigos, conhecidos e autoridades, respeita este tipo de pensamento. Eles querem preservar a tradição, os seus altos salários, um ou outro ponto de vista político, o Estado, a Previdência Social, os valores de sua tribo teen, o status quo, a ecologia, as suas qualidades, seus ideais socialistas, ou algo nesse sentido.

Então você se preocupou porque se identificou como algo que é diferente daqueles que conhece, o que não necessariamente promete ganho de status entre seus colegas por causa de seus ideais, ideais que agora se relacionam com o bem maior de todos os seres humanos e de todas as formas de vida sencientes, presentes e futuras, incluindo eles mesmos. Seus amigos simplesmente não têm a menor idéia do que diabos você está falando, e estão começando a achar você um pouco estranho.

Por outro lado, quando você descobriu que há poucos, sentiu-se como o vendedor de sapatos, que foi para um país subdesenvolvido e enviou uma mensagem para o rei depois que seu amigo, o primeiro vendedor enviou outra, a partir da área norte daquelas terras:

  1. Primeiro Vendedor: situação desesperadora, eles não usam quaisquer sapatos;
  2. Segundo Vendedor: gloriosa oportunidade, eles não têm quaisquer sapatos ainda!

Demorou um tempo, para aprender toda esta ciência, e para compreender profundamente a moral. Você bravamente atravessou abismos escuros da mente humana, onde muitos dos nossos melhores homens falharam. No entanto, você conseguiu e sua grandiosidade altruísta foi reiterada, uma e outra vez, sem medo da gigantesca tarefa necessária de quem quer realmente fazer o bem, ao invés de apenas fingir.

A mera lembrança de todo o processo faz com que você arrepie. Agora, em retrospecto, você pode olhar para trás e perceber que valeu a pena, e que o caminho que temos pela frente está cheio, ao contrário do inferno, não com boas intenções, mas com boas ações.

É agora o tempo para perceber que se você tiver feito isso por esta etapa, se todos os seus memes aderem ou se agregam criando uma personalidade transhumanista, então parabéns mais uma vez, pois você é efetivamente parte do pequeno grupo no qual destino de tudo o que valorizamos reside.

Que oportunidade gloriosa, não acha?
 

Tempo de agir

 

Breathe, breathe in the air
Don’t be afraid to care.
Breath – Pink Floyd

Agora, respire fundo e insufle o ar. Pense bem em como tudo isso importa, como isso é sério e impressionante. Sinta como você é verdadeiramente altruísta, do fundo do seu coração. Que sorte sua é ser ao mesmo tempo tão inteligente, tão verdadeiramente bom, que sorte a sua em nascer numa época em que pessoas como você são tão poucos, mas tão poucos, que o que você escolhe pessoalmente fazer, fará uma enorme diferença. Não é apenas uma oportunidade gloriosa, vale ressaltar que é como um dos presentes mais preciosos da vida.

Este sentimento é ao mesmo tempo confuso e incandescente, mas agora ele deve ser colocado em um refúgio seguro. Volte para o chão, veja os seus passos, volte a respirar normalmente: Vamos dar uma olhada no que está à sua frente.

A partir desse dia, o que importa é para onde você dirige seus esforços. Como é que vai garantir um futuro mais seguro e pleno para todos? Olhe em volta e veja o que outras pessoas estão fazendo. Você considerou quais os valores humanos que deseja preservar? Você está ciente de que Nick Bostrom, está guiando o Instituto Futuro da Humanidade em Oxford para desenvolver uma consciência profunda do nosso caminho pela frente, e que co-editou um livro sobre riscos catastróficos globais? Você sabia que Eliezer Yudkowsky entendeu tudo isso aos 16 anos após abandonar o ensino médio, e que tem trabalhando em desenvolver uma forma amigável de Inteligência Artificial, tentando impedir alguém de cometer os erros clássicos em supor que uma máquina se comportaria e pensaria como um ser humano? Você já descobriu que Aubrey de Grey está dedicando sua vida a criar uma instituição cujo principal objetivo é acabar com a tragédia do envelhecimento, e já recolheu milhões para um prêmio no caso de alguém retardar significativamente o envelhecimento de um rato?

Os problemas que enfrentamos não são triviais. É muito perigoso pensar que só porque você sabe todas essas coisas já está fazendo algo útil. Cuidado com as coisas que são divertidas demais para discutir. Há um trabalho real que precisa ser feito, e este trabalho pode ser evitar um cataclisma, ou a destruição por nanotecnologia fora de controle. A mesma linha de trabalho mantém a promessa de um mundo tão brilhante e inimaginável para nós, como a nossa vida é inimaginável para um camarão. Pensar sobre isso não vai resolver. Falar sobre isso não vai resolver. Apenas uma coisa vai resolver: Trabalho. Pencas e pencas de trabalho cuidadoso, consciente, extremamente inteligente, preciso, fantasticamente altruísta e profundamente gratificante.

Há duas coisas responsáveis a serem feitas:

  1. E é isto que este texto faz, divulgar e mostrar às pessoas espertas e altruístas ao seu redor que existem coisas reais que podem e devem ser feitas, pois são decisivas em um nível massivo, e não são sobredeterminados por ações de outras pessoas com o mesmos efeitos.
  2. A outra é de fato desenvolver a utopia. Isso tem muitos lados. Nenhuma pessoa inteligente está abaixo do limiar de utilidade. Todo altruísta deveria participar. A coordenação é crucial. Nenhum fantástico altruísta está abaixo do requerido. Para aumentar a probabilidade de utopia, ou você diminui a probabilidade de distopia, isto é, limpa o futuro disponível dos terríveis espaços para se viver, ou você acelera e aumenta as chances de conseguir um Bom Lugar Para Viver 2.

Este texto é centralizador. Se tiver chegado a este ponto, e tende a ver a si mesmo como alguém que concorda com um terço do que está escrito aqui. Você pode ser uma inteligência impressionante flutuando sozinha, e que, se ligado a um sistema, se tornaria um motor altruísta de poderes além de sua imaginação atual.

Estou desenvolvendo o Transhumanismo na América Latina. Não, eu não sou o único e o Transhumanismo não tem fronteiras. Independentemente disso, eu estarei recebendo qualquer oferta de trabalho (Tem tempo? Tem dinheiro? Tem entusiasmo?) no caso de alguém se sentir como eu. Também posso aconselhar (em oposição ao trabalho cooperativo) todos os candidatos que são “lobos solitários”, e as pessoas que não gostam de trabalhar em grupos.

Há uma qualificação final, que deve ser feito para o “tenho tempo?”: Se você é um Fantástico Altruísta, e é realmente inteligente como nós dois sabemos que você é, o que poderia ser mais valioso do que dedicar o seu tempo à única coisa que vai torná-lo contrafactualmente parte daqueles que acabaram com a miséria da tirania psicológica darwiniana e ajudar a inaugurar a era de felicidade quase imortal, e inteligência sobre-humana que desafia qualquer atual concepção do paraíso?

Se você tiver mais de cinco respostas inteligentes para a pergunta acima, por favor, entre em contato. Afinal, não existe um ponto em que estarei completamente convencido de que cheguei a melhor resposta. Eu só pesquisei por 8 anos sobre “o que fazer?”. Pensar que chegou à melhor resposta possível seria cometer a falácia do Melhor Impossível, e eu já ultrapassei o nível em que cometemos esse tipo de erro trivial.

Então, novamente pergunte-se: “O que devo fazer?” Caso você concorde com o pensamento Transhumanista, me envie os seus desejos, perfil, experiência, currículo, ou quanto tempo você tem para se dedicar a maior tarefa de todos os tempos.

Estou tentando trazer o esforço conjunto, pois agora você sabe, há outros como você lá fora. Temos pensado muito sobre como fazer um mundo melhor, e agora estamos trabalhando duro para isso. Precisamos da sua ajuda. O pior que poderia acontecer é você perder algumas horas conosco e depois descobrir que, na sua concepção, há outras coisas que realmente compõem uma melhor iteração nível-meta de sua grandiosidade altruísta. Mas não se preocupe, isso não vai acontecer.

Caro Fantástico Altruísta, o futuro é seu. Mas somente será seu se você for lá e realmente construí-lo.
 

Links interessantes:

Notas


  1. * Texto original em inglês com o título de Altruistic Awesomeness: Your Challenge, escrito por Diego Caleiro. A tradução para o português foi feita por Pablo de Araújo, que assume a responsabilidade por eventuais equívocos na tradução.
  1. Sua escolha do “mestre do mal” pode ser o capitalismo, o senso comum, a política, a religião, a estupidez, a caridade não utilitária etc.
  2. Mesmo se você saiba tudo o que eu tenho falado até aqui, para dar-lhe uma boa descrição do que é conceber a utopia, levaria cerca de dois livros, uma dúzia de equações, alguns gráficos e, pelo menos, alguns algoritmos